Destaque: Gripe piora sistema de saúde do Líbano em meio à pandemia de COVID-19

2021-11-28 16:30:18丨portuguese.xinhuanet.com

Beirute, 26 nov (Xinhua) -- Jamal al-Hajj, uma mãe que vive na cidade de Bar Elias, no leste do Líbano, hesitou em mandar seus três filhos para a escola depois que todos desenvolveram sintomas semelhantes aos do COVID-19.

Os exames laboratoriais revelaram que seus filhos sofrem de uma forte gripe com sintomas que incluem febre, tosse e dores no peito. A mulher de 40 anos finalmente decidiu manter os filhos em casa durante a atual temporada de forte gripe.

Nas últimas três semanas, o vírus da gripe se espalhou rápida e intensamente nas partes leste e sul do Líbano, onde centenas de infecções foram registradas, principalmente em crianças e idosos.

No sul, hospitais e clínicas estão operando com capacidade total há semanas. Algumas escolas fecharam as portas por medo de infecções cruzadas entre os alunos.

Farid Abdallah, membro do comitê de pais de uma escola pública na vila de Khiam, no sul, disse à Xinhua que os casos de gripe entre alunos e professores estão aumentando como resultado de grandes reuniões e da ausência de medidas preventivas e monitoramento de saúde.

Moussa Ibrahim, oficial de vigilância de doenças do Ministério da Saúde, disse à Xinhua que a rápida disseminação da gripe agravou os temores entre os cidadãos, pois coincidiu com o aumento no número de infecções e mortes por COVID-19 no país, onde mais de 1.000 novos os casos agora são relatados diariamente.

Ibrahim observou que o aumento simultâneo da gripe e dos casos de COVID-19 dificulta lidar com as infecções devido à pressão sobre o sistema de saúde do Líbano.

Ele alertou que a falha em distinguir entre influenza e COVID-19 pode levar a casos perigosos de pneumonia viral e infecções bacterianas fatalmente secundárias.

O oficial de saúde libanês pediu uma vacinação mais rápida contra gripe e COVID-19 e a adoção de precauções.

Em alguns casos, disse Ibrahim, a gripe não é menos perigosa do que o COVID-19.

Raymond Awad, um pediatra libanês, disse à Xinhua que a propagação da gripe é agravada pela falta das vacinas correspondentes, que não estão disponíveis na maioria das farmácias e devem chegar ao Líbano até o final deste mês.

Especialistas em saúde libaneses vêm pedindo medidas de precaução extras para evitar infecções, já que os preços dos remédios aumentaram notavelmente após a decisão do governo de interromper seu programa de subsídios devido à escassez de reservas em dólares americanos no país.

Amina Assi, outra mãe que mora em Bar Elias, disse à Xinhua que seus três filhos também contraíram gripe e ela precisou pedir dinheiro emprestado para conseguir remédios após o aumento sem precedentes nos preços.

O Líbano está enfrentando uma crise financeira sem precedentes causada pela escassez do dólar e exacerbada pelo surto de COVID-19 e as explosões do porto de Beirute no ano passado que mataram mais de 200 e destruíram milhares de casas e negócios na capital libanesa.

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com

010020071380000000000000011100001310338379